15 de setembro de 2014

Depression Quest

Eu estava lendo um post no meu feed hoje e me deparei com uma menção a um "jogo" chamado "Depression Quest". Eu nunca ouvira falar dele, então fui pesquisar na internet, já imaginando se meu computador teria capacidade de suportar um jogo. Felizmente não era esse tipo de coisa. 

Depression Quest é mais uma "história interativa" do que um jogo, na verdade. O objetivo dos criadores, segundo eles mesmos, era mostrar para pessoas não deprimidas como era viver com depressão, e mostrar para pessoas deprimidas que elas não estão sozinhas. Ao clicar em begin (não precisa baixar nada), a página te mostrar qual a sua história no jogo, e te dá algumas escolhas para lidar com cada situação que aparece. 


Basicamente, você é uma pessoa que tem um emprego não ideal, mas que paga as contas, tem alguns amigos próximos e uma namorada chamada Alex. E depressão. 

A depressão se mostra na hora em que você tem que fazer decisões. Por exemplo, quando seus amigos te convidam pra ir a um bar, você tem opções como "Aceita o convite entusiasticamente", "Aceita a contragosto" e "Recusa. Você não se sentiria confortável e tem certeza que apenas chatearia seus amigos". Mas a primeira opção está bloqueada. Porque uma pessoas deprimida simplesmente não tem a opção de se sentir daquela maneira. 

De cena em cena, o jogo vai te guiando para situações em que você pode optar por se abrir com seus amigos e familiares, procurar ajuda profissional ou medicação. Conforme você responde cada uma dessas questões você pode também acompanhar um "status" que descreve como está a sua depressão, a sua situação com a terapeuta e com os medicamentos. 

Eu tentei jogar da forma mais realista possível, imaginando como eu me sentiria em cada uma das situações descritas e pensando em como eu já agi em situações semelhantes que aconteceram na minha vida. E percebi que apesar de eu de modo geral não ter grandes problemas com a idéia de procurar ajuda profissional, falar com meus entes queridos é outra situação. No final do jogo eu consegui inclusive fazer a Alex me largar por falta de comunicação. 

O jogo é curto e pode ser tranquilamente jogado em uma hora, pelos meus cálculos. Ao final, você chega a um ponto onde ele descreve mais ou menos qual a sua situação. Não existe exatamente uma vitória ou derrota, mas eu me senti exatamente assim: Derrotada. O final da minha história não era de modo algum promissor ou otimista, já que a minha falta de comunicação meio que acabou com meus relacionamentos e eu fiquei sozinha e mais deprimida. 

Então, só pra saber como as coisas poderiam ter sido deferentes, eu comecei outra vez. E dessa vez, ignorando o que eu teria realmente feito, eu procurei escolher sempre as opções mais saudáveis possíveis. Me forçando a aceitar convites, conversar com pessoas, trabalhar em projetos pessoais, ir na terapia. Mas no começo era difícil, Porque o meu personagem deprimido as vezes simplesmente não tinha as opções positivas desbloqueadas. Acho que esse é talvez o toque mais genial do jogo. As opções bloqueadas de "sair e se divertir", "conversar sobre seus sentimentos" e fazer o que quer que seja sem preocupação. Mostra que a depressão é um teste em que você tem que escolher não a melhor opção, mas sim a menos pior. Eu espero que as pessoas não deprimidas entendam isso, porque é fundamental para entender a depressão como um todo.



Com o passar do tempo, entretanto, os cenários começaram a ficar menos negros e eu notei que conforme algumas cenas se repetiam, eu tinha mais opções disponíveis. Como que pra mostrar que quanto mais deprimido você está, menos escolhas você tem pra sair da depressão. Eu uma cena de crise em que na primeira vez que eu joguei, eu só tinhas as opções "beber sozinho", "sair de casa sozinho" e "brincar com o gato", na segunda eu também podia escolher entre "ligar para o meu irmão" ou "ligar pra namorada". E dessa vez ela não terminou comigo.

A minha cena final dessa vez foi completamente diferente da primeira. Agora eu e Alex íamos morar juntos, eu estava procurando por um emprego, e meu relacionamento com a família e amigos estava cada vez melhor. Apesar de ainda haver dias ruins, eles eram mais raros agora.

Mas mesmo jogando com a atitude mais positiva possível, em nenhum momento do jogo a depressão "simplesmente desapareceu". Continuam havendo momentos difíceis e nunca foi possível desbloquear todas as opções possíveis. Porque o tratamento não é mágico.

Eu acho que foi muito bom jogar o jogo duas vezes, mesmo que a segunda não seja nada realista, porque me mostra que poderia ser. Mostra que há luz no fim do túnel e que as coisas não precisam acabar mal.

E isso na minha cabeça soa muito positivo.

Você pode jogar de graça ou pagar o que quiser AQUI. Parte do dinheiro arrecadado será doado para um programa de prevenção de suicídios. 

0 comentários:

Postar um comentário

 
Ir ao Topo Ir ao Fundo