10 de março de 2014

Livro 4 - As Vantagens de Ser Invisivel

Me parece quase errado falar publicamente de um livro que teve um efeito tão pessoal em mim. É como se eu estivesse expondo os segredos de um amigo. Mas é preciso. Assim mais pessoas poderão aproveitar a companhia desse livro, e é isso o que importa, afinal.

foto daqui.


A história nos é contada na forma de cartas escritas por Charlie a um amigo anônimo. Charlie, prestes a entrar no ensino médio, é um garoto introspectivo e tímido. Seu melhor amigo cometeu suicídio alguns meses atrás, e Charlie não lida bem com a solidão. 

Desde o começo, Charlie dá pistas de que ele passou por algum grande trauma psicológico que afeta seu comportamento ao longo de toda a história, desde a menção de períodos passados no hospital psiquiátrico, até a reação exagerada que ele tem sempre que alguém demonstra gostar dele. 

Pouco depois do ano começar, Charlie conhece um casal de irmãos, Patrick e Sam, e é logo incorporado por eles ao seu grupo de amigos. Ele rapidamente se sente atraído por Sam, mas ela diz ser velha demais para ele, e ele se contenta num relacionamento totalmente platônico. Sam passa a sair com um rapaz mais velho, chamado Craig.

Já Patrick é homossexual assumido, mas tem que ocultar seu namoro com um popular membro do time de futebol, que teme a repercussão se seu relacionamento se tornar público. 

Ao longo desse livro, Charlie fala de diversas coisas que acontecem no seu dia-a-dia, fazendo-nos refletir sobre a naturalidade com que o preconceito e a violência são encarados na nossa sociedade. Muito jovem, Charlie presenciou um estupro dentro do seu próprio quarto, durante uma festa que o irmão organizara. Sam foi estuprada aos 7 anos por um colega do pai, e possivelmente novamente ao entrar no ensino médio, a irmã mais velha de Charlie foi estapeada pelo namorado, e não só o acobertou como quando o caso finalmente veio a público e seus pais a proíbem de vê-lo, ela continua o namoro secretamente. Mais tarde, ela se vê grávida e o mesmo namorado acusa de traição e se recusa a assumir a criança. Novamente em segredo, ela faz um aborto, e depois, mente ao ex-namorado, dizendo que fora um alarme falso, pra que ele volte com ela. Quando o pai do namorado de Patrick os encontra juntos, ele agride o filho duramente, e este diz na escola que foi assaltado. Depois disso, ele se recusa a ver Patrick novamente. Patrick o confronta, e é espancado pelos amigos do ex, até que Charlie intervem e com uma força física até então desconhecida, derruba os dois agressores. 

A vida familiar de Charlie, apesar de ora pacífica, também tem cicatrizes da violência passada. O Pai de Charlie se recusa a punir fisicamente os filhos, por ter sido frequentemente espancado pelo padrasto, que também lhe batia na mãe. A tia preferida do garoto, Hellen, morta em um acidente de carro, fora também estuprada na juventude. 

Quase sem querer, Charlie passa a namorar uma das garotas do grupo, Mary Elizabeth, e, sem querer ferir seus sentimentos, ele alonga o relacionamento, apesar de estar cada vez mais apaixonado por Sam. Quando por fim ele termina com a garota, de forma extremamente constrangedora, ele passa a ficar um tempo afastado do grupo. Nessa parte do livro, as cartas se tornam mais deprimidas, e ele escreve a seu amigo que "as coisas estão ficando ruins novamente", aludindo a crises anteriores. 

Somente ao final do livro, algo fará com que Charlie recupere as lembranças do que foi que causou seu trauma, e porque ele passou a vida inteira tendo crises. 

1 comentários:

Nicole Nicolela disse...

Mas eu queria saber dos efeitos sobre Você! (:

Postar um comentário

 
Ir ao Topo Ir ao Fundo