28 de janeiro de 2012

Como um murro na cara.

Teve um cara aí que disse uma vez que só devíamos ler livros que nos atingissem com um murro na cara. E eu acho que esse cara devia ter lá alguma razão, porque esse cara era Franz Kafka. Eu me dei a liberdade de estender a citação não só à leitura, mas também à qualquer coisa que façamos.

Eu acho que isso é algo de que nós devíamos nos lembrar com mais frequência, porque até tirinhas do Calvin nos dizem que a vida é curta, curta demais para perder tempo fazendo coisas sem importância.

Então eu resolvi lembrar à mais alguém a importância dos minutos perdidos. Vá viver.


"A prazo longuíssimo, eu sei o que me trará melhores lembranças"


0 comentários:

Postar um comentário

 
Ir ao Topo Ir ao Fundo